A Aflição

Leitura: Isaías 41.13-20

“Foi bom para mim ter sido castigado, para que aprendesse os teus decretos”. (SI 119.71).

Um homem tentava explicar-me a sua aflição dizendo que sentia dor no estômago, o coração parecia que esquentava, não conseguia ficar sentado, e suava muito. Os sintomas provocados pela aflição são diferentes em cada pessoa, porém os sentimentos de solidão, medo e impotência são experimentados por todo os aflitos.

O tipo mais comum de aflição é aquela originada pelo temperamento ansioso. Para esses casos, a solução está no aprendizado do domínio próprio. As aflições provocadas pelas circunstâncias, pela fragilidade humana ou mesmo a fé débil em Jesus, podem e devem ser combatidas com a seguinte garantia: “Eu lhes disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo” (Jo 16.33).

Mas, quando a aflição está ligada a uma consciência culpada, o remédio é apresentá-la a Deus: “Olha para a minha tribu-lação e o meu sofrimento, e perdoa todos os meus pecados” (SI 25.16-18). Essa oração de Davi se centraliza na aflição e na necessidade de perdão. Ele não tinha vergonha de se apresentar a Deus, nem de confessar e pedir perdão pelos seus pecados. Ele tinha plena convicção de que só Deus podia libertá-lo da aflição.

O que Davi pediu a Deus, nós também podemos obter. A compaixão de Deus certamente trará alívio para o coração, perdão para o pecado, libertação da aflição e apoio para enfrentar crises que não são possíveis evitar. Deus nos ouve de maneira semelhante que ouviu Davi. Além disso, também nos serão dadas a experiência e o crescimento no relacionamento com Deus. Fique tranqüilo. A aflição tem cura!

Aflito e triste coração. Deus cuidará de ti!