A perseverança

Leitura: Apocalipse 14.6-13

“Aqui está a perseverança dos santos que obedecem aos mandamentos de Deus e permanecem fiéis a Jesus” (Ap 4.12).

No Novo Testamento, perseverar é a capacidade de permanecer fiel a um propósito ou pessoa; suportar até a morte as dificuldades contrárias a esse propósito; conter-se, dominar as emoções, o ânimo e o temperamento a favor do propósito. O melhor exemplo bíblico de perseverança é permanecer fiel a uma pessoa, seja qual for a situação. É exatamente isso que os noivos prometem um para o outro no casamento!

Perseverar é não mudar nem variar de intento. A melhor definição alegada para a perseverança seria a rotina. Conceito tão forte no cristianismo, que alguns acreditam que a reconciliação com Deus e a salvação vem através dela. Para outros, é ir aos cultos aos domingos e obedecer as regras da igreja.

João, apóstolo de Jesus, entendeu que perseverar em Jesus era tão importante que usou essa palavra 64 vezes em suas cartas. Jesus disse que perseverar era permanecer nele: “Se vocês permanecerem em mim, e as minhas palavras permanecerem em vocês, pedirão o que quiserem, e lhes será concedido” (Jo 15.7).

Perseverar não é esperar ser salvo pela rotina religiosa domingueira. A salvação é unicamente pela fé em Jesus. A perseverança é a decisão pessoal de viver confiando só em Jesus. Mesmo quando as aflições, crises, perdas e enfermidades tentam mudar nosso intento.

Permanecer ou perseverar é ficar firme, não cedendo às influências da mídia, da moda e do mundo, que apresentam outro caminho ao fiel. Moralmente, perseverar é viver segundo a justiça de Deus. Esta é a perseverança que caracteriza o verdadeiro cristão. Perseverar é permanecer firme em Jesus, custe o que custar.

Perseverar não é opcional, mas excelente alvo para o cristão.