Fé e consumo

Leitura: Salmo 131

“Senhor, o meu coração não é orgulhoso” (SI 131.1).

A competição, a sobrevivência diária, aumenta a multidão dos que, só pensam, planejam e trabalham pelo consumo imediato. Tudo é para finalidade imediata. Não se pensa mais a consumo longo prazo, somente a curto prazo. Não dá tempo. É preciso correr e competir. Até a fé é usada como objeto de consumo. Alguns se apresentam, fazendo dela mais um ramo de atividade profissional.

Esse consumo religioso torce o sentido da Palavra de Deus. Substitui a imperativa vontade Divina por servidão humana. Anula a visão da vida espiritual, focalizando somente benefícios temporais. Para o consumidor religioso, a fé precisa de vitórias transitórias e não de identificação com Jesus.

Se estiver vivendo um período delicado, suplicando e esperando Deus intervir, não desanime. Esperar confiantemente no Senhor não é consumismo. A própria Palavra de Deus nos exorta a esperar: “Os que confiam no Senhor são como o monte de Sião, que não se pode abalar…” (Sl 125.1).

Deus se alegra em socorrer quem confia nele, não torce a Palavra, e vive em total submissão à Sua pessoa e vontade. Fuja do consumismo religioso pondo no seu coração as palavras do Salmo 131. “Senhor, não é soberbo o meu coração, nem altivo o meu olhar; não ando à procura de grandes coisas, nem de coisas maravilhosas demais para mim”.

Embora você possa estar passando por um momento difícil, esperando o que Deus vai fazer, e esteja dolorido com os aspectos tristes e inevitáveis da vida, lembre-se: quem confia no Senhor aprenderá coisas novas, mesmo através das dificuldades.

Portanto, não se desespere se Deus ainda não lhe respondeu. Não significa que Ele não está ouvindo. Descansa! Confia!

As lições que Deus ensina duram mais que alguns momentos.