Feridas na Alma

Leitura: Salmo 62

“Até quando todos… atacarão…um homem que está como um muro inclinado?” (Sl 62.3)

Na época de chuvas ou tragédias, entra em cena a Defesa Civil (formada por voluntários da comunidade). Por segurança, visita locais perigosos, sugere a remoção de pessoas e derrubada de barracos, prédios danificados e muros prestes a desabar.

Davi, no Salmo 62, demonstrou tamanha angústia, comparando-se a um muro inclinado quase caindo. O problema dele era familiar. Davi tinha problemas sérios em sua família e sabia ser culpado por muitos deles. Aqui, provavelmente, o foco de atenção era a crise de relacionamento entre Davi e seu filho Absalão. Uma tragédia havia ocorrido. Se já não bastasse o adultério de Davi, houve aquele famoso caso entre seus filhos de mães diferentes, Amnom e Tamar, culminando no assassinato de Amnom, praticado por Absalão, também filho de Davi.

Uma situação assim, derruba qualquer um. Quando os problemas na família se intensificam, os filhos tendem a fugir do controle dos pais. Na verdade, Davi não soube educar os filhos, por isto se abalava. Para complicar ainda mais, o próprio filho, Absalão, tentava desestabilizar o reinado do pai.

Uma pessoa abalada emocionalmente, é comparável a um muro inclinado, uma cerca, prestes a cair. Basta um empurrão, e será o fim.

Todavia, Davi não havia perdido a esperança. Sabia que podia contar com Deus. “A minha alma descansa somente em Deus” (SI 62.1). Não há melhor refúgio do que Deus.

Ele conhece a nossa estrutura humana e entende as nossas aflições. Quem nele confia, encontra uma rocha segura. Quando perceber que algo está lhe derrubando, refugie-se em Deus e Sua Palavra. Apegue-se a Ele. Ele sabe como tratar de nossas feridas.

Derrame diante dele o coração, pois Ele é o nosso refúgio (SI 62.8).