Não e não!

LEITURA: Lucas 22.54-60

“Homem, não sei do que você está falando” (Lc 22.60).

Quais razões levam alguém sincero negar que conhece a Jesus? Parece estranho, mas Pedro, que estava disposto a morrer por Jesus, negou qualquer envolvimento com ele.

Jesus foi preso e levado para a casa do sumo sacerdote. Pedro ficou à distância, como quem não esperava que aquilo acontecesse. Assentado com os outros, em volta de uma fogueira, Pedro aguardou para ver no que daria a prisão de Jesus.

Se soldados vieram prendê-lo, o assunto não era apenas religioso — envolvia o Governo.

Na primeira cena, uma criada o reconhece. Pedro nega a Jesus dizendo “Não o conheço”. Estaria Pedro, com medo? Provavelmente sim. Sem saber o que aconteceria, preferiu não identificar-se com Jesus. Segundo historiadores, Pedro era membro de partido político que lutava pelo poder. Não era boa hora para ser preso.

Na segunda cena, um homem o reconhece. Pedro disse: “Homem, não sou”. Na ótica de Pedro, Jesus e seus seguidores foram vistos como perdedores. Se Jesus estava preso que fazer com os ensinos do Reino dos Céus? Pedro não se via como perdedor, logo, não era um deles.

Na terceira cena, ele é identificado por ser galileu e andar com Jesus. Pedro disse: “Homem, não sei do que você está falando!”. Pedro, galileu, esperava que Jesus assumisse o Governo da Galileia e desse uma lição nos romanos. Fora isto, aquela conversa era estranha para ele (Lc 22.57-60).

Quais motivos nos levam a negar Jesus? Talvez o medo de ser rejeitados pela sociedade. Talvez a frustração por orações ainda não respondidas, ou má compreensão da Palavra de Deus. Quando isso ocorre, arrependidos, só nos resta chorar amargamente.

O arrependimento é a única atitude digna de quem nega a Jesus.